Entrevista com Fábio Cassiano – De volta a Pátria Amada

Spread the love

Primeira publicação de Pátria Amada – 2003

Mais de 15 anos depois de produzir a hq Pátria Amada, nos anos 90, a pedidos de alguns leitores, e também porque ela passou a  se um clássico da PADA, nessa entrevista FÁBIO CASSIANO, que foi o principal desenhista desta obra , cujo roteiro foi criado por JOSÉ VALCIR. Nessa entrevista, ele volta ao tempo e o relembra os “agentes” que o fez arregaçar as mangas para fazer essa obra, que relata um momento tão triste do Brasil. Mesmo sem nenhuma pretensão politica , mas apenas de cunho social, a história revelou a tenção e os sentimentos que envolvia tão tenebroso momento de nossa história.

1- Qual foi a motivação para aceitar trabalhar com José Valcir na produção da Pátria Amada?

A motivação, no início, se deu por uma questão de dar uma contribuição para o grupo que estava me integrando. Mas ao analisar o conteúdo do enredo me apaixonei. O texto bem detalhado de José Valcir me dava fluência nos traços do personagem central e ambientação da história em si. Foi um desafio gratificante traduzir de forma artística o que o autor queria informar ao leitor.

2- No ponto de vista da arte, como foi o processo de produção da história Pátria Amada sob a orientação de roteiros de José Valcir?

Como dito antes, o roteiro do autor, com seu texto com riquezas de detalhes me facilitou bastante em traduzir em forma de arte sequencial. Me dando a liberdade de acrescentar alguns quadros para dar mais dramaticidade da ficção. Creio que o conjunto da obra se inteirou como um todo e a mensagem foi dada.

3- Quando aceitou e durante o processo da Pátria Amada, você tinha uma compreensão real do que foram Os anos de Chumbo? Ou você considera que entende melhor a “Ditadura de 64” nos anos atuais?

Não como tenho hoje. Na época eu tinha poucas informações a respeito. Embora seja militar (Corpo de bombeiros) desde aquela época, não tinha muita divulgação da época do regime militar e o combate às ideologias comunistas. Confesso que essas coisas nunca me atraíram. Tive uma infância e adolescência sem muita interferência dessas coisas. Hoje, com maturidade, vejo tudo isso com mais embasamento e tenho minhas convicções política e religiosa com mais clareza.

4 – Antes mesmo de participara da PADA, nos anos 90, você tinha seus projetos particulares e já produzia suas própria publicações! Um destas produções é o “Tal”. O que o que lhe motivou a produzir o Tal?

Imagem de capa de Fábio Cassiano

Na década de 90, as animações japonesas, como os quadrinhos estavam em alta e isso também me entusiasmou a seguir essa tendência. Como eu tinha esse personagem desde minha infância (Tal), resolvi repagina-lo como estilo Mangá. Isso me colocou em uma maratona de sequência de capítulos, que se tornou intermináveis. E por conta de aperto de horários no meu trabalho, tive de suspender o desfecho dessa série. Mas, ainda, com a pretensão de voltar a desenha-lo.

5 – Nesses últimos anos há uma pequena atenção a produção de quadrinhos locais. E os eventos mais populares provam isso! Na sua opinião o que fazer diante deste cenário para promover as produções pernambucanas?

Em nosso estado como no nordeste existem muitos talentos a serem descobertos. Como sabemos, vivemos com muitas limitações de divulgação em relação ao sul e sudeste do país e precisamos quebrar essas barreiras. Eventos como faz Odin (Orlando) da Banca Guararapes (um forte aliado de quadrinistas locais), na Feira Asgardiana, que não é de hoje, realiza eventos ligado aos quadrinhos, ainda tem pouco interesse na mídia. Ele como a própria PADA são exemplos dessa resistência. Nossos jovens artistas tem que ajudar a deixar essa bandeira erguida, são eles que vão continuar esse legado.

6 – Você tem algum plano em relação aos quadrinhos para os anos vindouros?

Planos, sempre tenho! Estou fazendo uma pequena produção de quadrinhos com mais qualidade e cuidado, mas por enquanto vou guardar segredo. Numa breve oportunidade darei mais detalhes sobre essa produção.

Serviço:
Prismarte # 65 
Capa Colorida miolo em P&B.
32 páginas
R$ 6,00 + R$ 3,00 de correios Ou pelo Pagseguro (botão abaixo)
Confirme seu pedido pelo e-mail: primarte@prismarte.com.br
ou pelo facebook: https://www.facebook.com/PADA.Quadrinhos/


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *