Maurício Paiva lança história em quadrinhos em homenagem a Franklin Cascaes, em Floripa

O Fadólico é inspirado na história de vida do folclorista e em dois contos registrados por ele

O ilustrador florianopolitano Maurício Paiva, 29, está homenageando Franklin Cascaes no mês em que ele completaria 109 anos de nascimento. Paiva lança no dia 26 de outubro, no O Sítio Coworking, na Lagoa da Conceição, o livro de história em quadrinhos “O Fadólico”, que conta um pouco da história de vida do artista, pesquisador e folclorista da Capital, além de dar ênfase a dois contos dele.

A ideia surgiu enquanto cursava a faculdade de design gráfico, na Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina), em 2014, e iniciava o TCC (trabalho de conclusão de curso). “Já fiz querendo abordar algo que iria tocar adiante na minha carreira com ilustração e histórias em quadrinhos”, explicou Paiva. O objetivo dele era destacar a Ilha, pela qual tem grande carinho, e que vivencia muito a natureza – até porque mora à beira da Lagoa. Os temas sobrenaturais também sempre chamaram a atenção do ilustrador. Com isso, tudo se encaixou, e Paiva chegou ao nome de seu protagonista do HQ: Franklin Cascaes.

Como é novo no ramo da literatura, foi mais difícil que alguma editora topasse a ideia de Paiva. Por isso, ele optou pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura, que o permitiu fechar parceria com uma empresa que acreditou no projeto, e em contrapartida, ganhará isenção fiscal do município.

A história traz dois contos: “O Balanço Bruxólico”, que já é bem conhecido e cai costumeiramente em vestibulares da UFSC, e “O Padre e as Perdizes”, algo mais cômico e de menor conhecimento do público. Os dois se cruzam com a história de vida do pesquisador em Florianópolis, que sempre buscou registrar em desenhos os contos e lendas que ouvia pela cidade. “Ele fazia isso porque tinha saudade daquele tempo, uma época em que vivia na parte do continente, onde tinha um engenho de moer mandioca, e que as pessoas se reuniam ao redor para contar histórias”, explicou Paiva sobre os registros que encontrou sobre Cascaes.

No roteiro, Paiva brincou um pouco com a questão do sobrenatural de Cascaes, que na história se chama Frankolino, e o transformou em um místico. Umas das personagens se chama Elisa, em homenagem póstuma a mulher do pesquisador, que o procura para ter ideias de como preservar a arquitetura da cidade, já que lugares tradicionais estavam sendo destruídos. “O conto do Balanço eu deixei mais escuro e denso, para ser mais de terror, e o do padre mais claro, para ter um tom bem- humorado”, explica.

Cascaes como roteirista e designer

No livro, destinado ao público infantojuvenil, Paiva diz ter criado um vínculo muito forte com o desenho de Cascaes. “Eu basicamente peguei o desenho dele e adaptei para o meu traço. Como se ele fosse o meu roteirista na estética. Ele fez o design dos meus personagens. Apenas transportei para um traço mais atual e acessível para o público de agora. Fui quase 100% fiel ao que ele tinha concebido”, afirmou o ilustrador.

Paiva explica que tem influência mais global no desenho, “quase uma colcha de retalhos de vários artistas que acha interessante”, mas tentou manter uma coisa mais brasileira no livro, com referências nacionais de traços mais soltos e livres, como dos famosos irmãos Gustavo e Otávio Pandolfo, que assinam OsGêmeos.  “Fiz tudo a mão, porque não tinha muita experiência em desenhar no computador e me falaram que o traço ia ficar muito mecânico, e não era essa a minha intenção”, explica.

O livro, que teve curadoria do pai e fotógrafo Zé Paiva, também deverá ser útil não apenas para quem quer conhecer a história de Cascaes, mas para os estudantes, pois segundo o artista, o livro de Cascaes é muito antigo, com uma linguagem dos anos 1970, escrito ao pé da letra, de pessoas falando em uma linguagem mais antiga ainda. “Meu trabalho é atualizar isso e deixar atemporal, porque tem muitas coisas que não dá para entender. Quando transformo em imagem, é mais difícil perder o significado”, diz.

No evento de lançamento, Paiva fará a distribuição de cerca de cem livros gratuitamente, além de uma exposição com os rascunhos do livro “O Fadólico”, para que o público entenda a produção de um HQ manualmente.

Serviço

O quê: lançamento de “O Fadólico”
Quando: 26/10, 19h
Onde: O Sítio Arte Educação Coworking, rua Francisca Luiza Veira, 53, Lagoa da Conceição, Florianópolis
Quanto: gratuito, com distribuição gratuita do livro

You may also like...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *