Artista usa quadrinhos e mostra dificuldade de ser criança no Brasil


Uma obra fantástica que só é possível com união e coesão de equipe, o que torna ao meu ver um dos melhores trabalhos on-line (webquadrinhos) que já tive oportunidade de ver.

A discriminação de gênero, de raça, as doenças, o trabalho infantil. As dificuldades enfrentadas pelas crianças do Brasil agora estão retratadas em quadrinhos.

Em seis capítulos, a história em quadrinhos “A Infância no Brasil”, de José de Aguiar, mostra a difícil realidade enfrentada sobretudo pelas crianças brasileiras pobres, em cada século, desde o início da colonização do Brasil por Portugal.

Com a consultoria e pesquisa da historiadora Claudia Regina Moreira, os quadrinhos têm como pano de fundo episódios históricos como as bandeiras paulistas, a promulgação da Lei do Ventre Livre e a Consolidação das Leis Trabalhistas, a CLT.

José de Aguiar conta que a inspiração para o projeto veio com o nascimento do filho, em 2010.

A Infância do Brasil foi publicado em formato de revista, pela editora Avec, mas também pode ser lida gratuitamente no site http://www.ainfanciadobrasil.com.br.

Nesta página eletrônica os leitores podem não só ler a história em português, inglês, francês e espanhol, como também escolher uma versão comentada da história, em que são contadas curiosidades da história do Brasil como, por exemplo, informações sobre o parto no século 16.

Equipe produtora:
Produção:
Quadrinhofilia Produções Artísticas
Coordenação e revisão:
Fernanda Baukat
Roteiro e desenhos e Direção de Arte:
José Aguiar
Consultoria e pesquisa histórica:
Claudia Regina Baukat Silveira Moreira
Coloração:
Joel de Souza
Balonamento:
Aline G.S. Scheffler
Assistente de produção:
Lise Santos
Projeto gráfico e web:
Editorial Design
Carlos Romaniello, Claudio Thiele,
Fábio Cardoso, Alan Maranho,
José Pereira e Beatriz Lago
Fotografia e Edição de vídeo:
Rafael Burgos
Tradução para o inglês:
Rafael Brasil Pompeo
Tradução para o francês:
Sylvain Bureau
Tradução para o espanhol:
Natalia Bermúdez e Mariela Bermúdez

You may also like...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *